A translation of this passage which can be found on the wall of the lobby of the Gulbenkian Museum in Lisbon, Portugal. A fine museum indeed:
I am fully aware that the time has come for me to make a decision in regards to my works of art. I can say, without fear of exaggeration, that I regard them as “children” and that their well-being is one of my greatest worries. They represent fifty or sixty years of my life, during the majority of which I collected them, at times with great difficulty, but always and exclusively guided by my own personal tastes. Certainly, like all curators, I sought to moderate myself. But I feel that they are my heart and soul. 
Calouste Gulbenkian in Lisbon February 10th 1953.
E em Português
Tenho plena consiência de que é tempo de tomar uma decisão sobre o futuro das minhas obras de arte. Posso dizer sem receio de exagero que as considero como “filhas” e que o seu bem estar é uma das preocupações que me dominam. Representam cinquenta ou sessenta anos da minha vida, ao longo dos quais as reuni, por vezes com inumeras dificuldades, mas sempre e exclusivamente guiado pelo meu gosto pessoal. É certo que, como todos os coleccionadores, procurei aconselhar-me, mas sinto que elas são minhas de alma e coração. 
Calouste Gulbenkian em Lisboa 10 feveiro 1953.

A translation of this passage which can be found on the wall of the lobby of the Gulbenkian Museum in Lisbon, Portugal. A fine museum indeed:

I am fully aware that the time has come for me to make a decision in regards to my works of art. I can say, without fear of exaggeration, that I regard them as “children” and that their well-being is one of my greatest worries. They represent fifty or sixty years of my life, during the majority of which I collected them, at times with great difficulty, but always and exclusively guided by my own personal tastes. Certainly, like all curators, I sought to moderate myself. But I feel that they are my heart and soul. 

Calouste Gulbenkian in Lisbon February 10th 1953.

E em Português

Tenho plena consiência de que é tempo de tomar uma decisão sobre o futuro das minhas obras de arte. Posso dizer sem receio de exagero que as considero como “filhas” e que o seu bem estar é uma das preocupações que me dominam. Representam cinquenta ou sessenta anos da minha vida, ao longo dos quais as reuni, por vezes com inumeras dificuldades, mas sempre e exclusivamente guiado pelo meu gosto pessoal. É certo que, como todos os coleccionadores, procurei aconselhar-me, mas sinto que elas são minhas de alma e coração. 

Calouste Gulbenkian em Lisboa 10 feveiro 1953.